SAÚDE

Retinoblastoma: câncer ocular que afeta crianças

04/05/2022 18:00




Abdalla Campos Felício - Médico-oftalmologista / CRMMG 39558
 
* Diretor do Centro Oftalmológico Pontenovense 
 
- Av. Dom Bosco, 426/2o Andar - Edifício Star Center Palmeiras/Ponte Nova
fones (31) 3817-6064 e 98014-6064
 
 
 
Recentemente, o apresentador de TV Tiago Leifert e sua esposa, jornalista Daiana Garbin, tornaram público o diagnóstico de retinoblastoma em sua filha Lua, de apenas 1 ano. 
 
O retinoblastoma é um tipo de câncer raro que pode aparecer em um olho ou de forma bilateral (nos dois olhos). Apesar de raro, é o tumor ocular mais comum na infância e, em 90% dos casos, acontece antes dos 5 anos de idade. 
 
A revelação do diagnóstico, pelos pais famosos, fez com que a notícia se espalhasse rapidamente pela imprensa e pelas redes sociais, transformando-se num alerta sobre o retinoblastoma e reforçando a importância do acompanhamento da saúde ocular na infância.
 
Causas do retinoblastoma
- No caso do tumor unilateral, a teoria mais forte, inclusive com trabalhos publicados, tem base teórica nos vírus. Ele é mais incidente em sociedades menos socioeconomicamente bem estabelecidas, sendo mais prevalente na América Latina, na África e em alguns países da Ásia e menos na Europa e na América do Norte. Então, por isso, existe uma correlação provável com vírus. Já o tumor bilateral, que corresponde de 30% a 40% dos casos, tem uma ligação genética e, por isso, é importante saber o histórico familiar, se o pai, a mãe, a avó ou o avô tiveram retinoblastoma. 
 
Como é possível identificar a doença?
- O retinoblastoma, diferente de outros tumores na infância, tem sinais e sintomas muito claros que chamam a atenção. O maior deles é a leucocoria, que é aquela mancha branca dentro do olhinho da criança. E, mesmo que não seja retinoblastoma, pode ser outra doença que precisa ter diagnóstico e tratamento rápidos para não perder a visão.
 
O que é o Teste do Olhinho?
- É um exame de fundo de olho, que faz o primeiro rastreamento de tumor ocular. O neonatologista observa um reflexo de luz no fundo do olho do bebê. Todo mundo conhece o Teste do Pezinho e toda criança sai da Maternidade com esse exame. É um exame importante, mas as doenças que são vistas por ele são menos comuns do que o retinoblastoma. Então, o Teste do Olhinho também deve ser exigido pelos pais na Maternidade. Além de ser feito ao nascer, é preciso ser repetido de forma sistemática pelo pediatra no acompanhamento da criança.
 
Como em toda a Oncologia Pediátrica, o retinoblastoma deve ser tratado por uma equipe multidisciplinar, que tenha grande conhecimento naquilo que está fazendo. Hoje, conhecemos muito da doença e, por isso, sabemos que o tratamento é muito personalizado, dependendo de cada caso.
 
(Fonte: www.vejabem.com.br / www.tucca.org.br)






UID:10283907/22/05/2022 04:15 | 0